Van Turco

História  Temperamento  Características


História

O Van Turco é uma raça originária do lago de Van, região de altos planaltos ao leste da Turquia. Acredita-se que ele se originou dos Angorás Turcos que foram se adaptando a região do lago Van. É uma das poucas raças naturais do mundo, onde apenas a natureza foi responsável por tão bela seleção. Os Van Turcos, ao contrário de seu primo Angorá Turco, têm marcações bastante peculiares na cabeça e cauda.

A raça foi descoberta pelo naturalista francês Lotin de Val em 1856 e importada para a Europa ainda no século XIX. A França recebeu seus primeiros exemplares na década de 30 mas a criação não evoluiu. Apenas em 1955 a fotógrafa inglesa Laura Lushington começou uma criação séria a partir de um casal que ela ganhou em uma viagem à Turquia. A fim de aumentar seu plantel, ela importou mais alguns gatos, que tiveram que permanecer meses em observação e isolamento antes de poderem entrar no país. Dá-se inicio à seleção e criação desta raça na Inglaterra, cujo principal objetivo era torná-la mais sociável. Em 1969,  a quarta geração dos gatos de Miss Lushington é reconhecida pela GCCF e logo depois pela FIFE, que dá à raça reconhecimento internacional. O primeiro Van Turco campeão foi Alanya. Nos anos 80 foi a vez dos Estados Unidos descobrirem este maravilhoso gato. Ele foi importado por Bárbara Reark, da Flórida. Logo foi reconhecido pela TICA e CFA.

A raça continua rara no mundo inteiro. Na França, por exemplo, existem apenas 4 ou 5 criadores de Van Turco. Isto se deve à pouca divulgação da raça e do fato de suas ninhadas serem mínimas, de apenas 2 filhotes. Também  não aceita acasalamento com outra raça.

Temperamento

O Van Turco é um gato afetuoso e inteligente. Apesar de aceitar a presença de outros gatos pode se mostrar agressivo. As fêmeas podem ser agressivas com os machos durante o acasalamento, o que pode, algumas vezes, dificultá-lo. 

O Van Turco é extremamente ativo, ainda mais que os siameses. Devido a esta atividade são gatos que brincam com tudo, pedaços de papel, a chave do carro, água acumulada na pia.  Esta atividade toda os faz gastar bastante energia e necessitar de uma alimentação substancial para seu tamanho. São também fáceis de treinar para buscar e trazer objetos.

Bastante reservado, este gato não gosta de ser pego no colo nem de abraços apertados. Ele demonstrará seu afeto esfregando a cabeça em sua perna. Por este motivo, caso o proprietário queira passear com eles, deve ensiná-los a andar de coleira desde filhote. Por não suportarem brincadeiras exaltadas e abraços apertados não é uma raça indicada para conviver com crianças. Se eles se sentirem incomodados vão revidar com unhadas. Estes gatos vivem bem em apartamento.

Um fato que espanta bastante nos Van Turco é que este gato não tem medo de água. Originário da região do lago Van, ele teve que perder este medo para assegurar sua sobrevivência. Com efeito o único alimento disponível na região eram os peixes do lago. Lendas contam que eles chegavam a nadar no lago Van.

O Van Turco domésticos guardaram esta característica de seus antepassados e em sua maioria nascem gostando de água. Uma coisa precisa ser dita: eles gostam de água, não de nadar nela. Estes gatos apreciam brincar com água, não tem medo de se molhar, mas não espere um Van Turco pular em sua piscina, a menos que tenha sido treinado para isso.

Características

A característica mais marcante do Van Turco,  é sem dúvida sua marcação. Estes gatos apresentam uma pelagem de base branca com marcações ruivas na cauda e na cabeça. Na cabeça forma-se um desenho especial: são duas manchas ruivas separadas por uma listra branca, formando um V invertido. A cauda, em penacho,  é completamente ruiva, apresentando anéis de um ruivo mais intenso. É possível encontrar exemplares com alguma mancha no corpo mas nunca devem ter mais de 20% do corpo ruivo. Esta marcação é tão característica, que, quando presente em outras raças, é chamada de Van. Por exemplo, se presente em um persa, teremos um persa van. 

A cor tradicional é a auburn onde o corpo é branco e a marcação vermelha. Entretanto é possível encontrar van turco com marcações creme, azul, preta, escama de tartaruga, bicolor e tabby. Na Inglaterra apenas as cores Auburn e Creme são permitidas. Os filhotes podem apresentar marcações tabby que desaparecerão com o tempo.

Sua pelagem é semi-longa, sedosa, sem subpêlo e impermeável. Seus grande olhos ovalados  podem der azuis, âmbar ou um de cada cor, delineados de cor-de-rosa, formando assim um par perfeito e harmonioso com sua pelagem. Pela ausência de subpêlo o van não apresentam nós ou queda de pêlo acentuada. É necessário escová-los apenas na época em que ocorre uma ligeira troca de pêlos, uma vez por ano.

O Van Turco é um gato medilineo, rústico e bastante musculoso, sobretudo os machos. Sua cabeça é em forma de cunha com orelhas bem aprumadas, grandes e retas, implantadas razoavelmente próxima a um nariz longo. O nariz e as almofadas plantares são cor-de-rosa. Diferencia-se do Angorá turco por ser mais pesado e, é claro, por sua marcação característica.

A raça tem uma saúde de ferro. Um dos poucos problemas associados a ela é a surdez em exemplares de olho azul. O único mal de origem genética conhecido é o Pectus Excavatum, ou seja, uma angulação incorreta das costelas que pressionam o pulmão e coração, provocando dores no peito. Existe tratamento cirúrgico para este mal.