Ragdoll

História  Temperamento  Características  Perguntas e Respostas  Referências


História

O Ragdoll foi criado e batizado pela polêmica criadora norte-americana Ann Baker, no início da década de 60. Ann acabou sendo conhecida por todos os Estados Unidos pelas suas façanhas. Patenteou o nome Ragdoll, obrigando qualquer pessoa a lhe pagar royalties quando comercializasse a raça. Provavelmente numa jogada de marketing, Ann afirmava que esses gatos eram fruto da engenharia genética do governo americano, que usou genes humanos para fazê-la. Mas na verdade, a raça foi desenvolvida por ela mesma, a partir de uma gata chamada Josephine, muito parecida com um Angorá, e depois com a introdução de gatos com a característica do Sagrado da Birmânia. 

O reconhecimento veio em 1965 por uma entidade de pequeno porte, a National Cat Fanciers Association (NCFA). Descontentes com as atitudes de Ann, criadores dissidentes liderados por Denny Dayton fundaram a Ragdoll Fanciers Club International (RFCI) no final da década de 60 e conseguiram o reconhecimento da raça por grandes entidades felinas, como a TICA. O reconhecimento foi muito rápido pela maioria das entidades e em algumas, como a TICA, foi imediato. 

O padrão do Ragdoll foi totalmente baseado nos exemplares que estavam com os dissidentes. Restringiu os gatos a terem apenas olhos azuis e poucas cores  – a seal (marrom escuro), chocolate, azul e lilás – e marcações na pelagem – a ponteada (cor mais escura no focinho, orelhas, cauda e patas), a bicolor e a mitted (patas com pontas brancas). Todas as demais cores e marcações de pelagem e cor de olhos que  existiam nos gatos dos seguidores de  Ann Backer foram rejeitados. Alguns criadores que tinham gatos com essas características e estavam na entidade de Ann, a International Ragdoll Club Association (IRCA), se desligaram do clube há três anos e conseguiram reconhecê-los como outra raça de nome Raggamuffin.

Temperamento

Se o cão é o melhor amigo do homem, então podemos dizer que o Ragdoll é o melhor companheiro do homem. Mais que animais de estimação, os Ragdolls são verdadeiros companheiros. É um gato que tem muitas características especiais. Seu temperamento doce é provavelmente a mais evidente delas. 

Os Ragdolls têm personalidade única. Eles são amáveis, serenos e quietos. Adoram viver com pessoas. Fazem uma perfeita companhia para recém – casados, crianças, senhores de idade etc. Doces e dóceis, Ragdolls não brigam com outros gatos. 

Os Ragdolls têm muitas características atribuídas aos cães: buscar brincadeiras, lealdade com o dono, seguindo-os por todos os lugares, ficam atentos em tudo o que eles fazem e são muito devotados.

Mesmo esses gatos maravilhosos sendo calmos e doces, eles também adoram brincar! Os Ragdolls têm muita energia. Sua constituição física permite que eles tenham uma habilidade para se mover, correr e pular como nenhum outro gato. Quando filhotes, os Ragdolls se entretêm por horas com um comportamento "malicioso" como perseguir a própria cauda, perseguir borboletas e explorar o mundo à sua volta. 

Os Ragdolls são gatos muito especiais. Eles trazem amor, alegria e paz para as pessoas. O temperamento afetuoso do Ragdoll é provavelmente a maior atração. 

Eles precisam de água fresca e alimentação nutritiva como nós. Ele adora viver dentro de casa junto com os donos, adora a vida entre quatro paredes. Quando eles não estiverem bem, deve-se levá-los ao veterinário.  

Como nós, eles precisam de amor, atenção e cuidados. Eles precisam ser amados até mesmo depois de velhos, que é onde precisam de mais amor para não se sentirem rejeitados. São muito amáveis e uma ótima companhia, nos fazem rir. Ele nos dá amor e fazem a gente pensar em como somos semelhantes. Ele não faz o gênero agitado. Não corre ou escala os móveis como outras raças. Mas é capaz de fazer tudo que outro gato faz, só que com menor freqüência. Prefere ficar quieto ou dormindo que correr ou subir em móveis. Por ser muito grande, pode dar a idéia errada de preguiçoso. Brinca e corre quando está com vontade, mas o faz somente por poucos momentos. 

Adora colo. Mas, como é pesado (e sabe muito bem disso), primeiro ele pula em um móvel próximo ao dono e aos poucos se aproxima para ir ao colo, colocando uma pata por vez e olhando a reação da pessoa, para depois se aconchegar. Ele fica tão relaxado quando deitado que lembra uma boneca de pano, mole e flexível, daí surgindo o seu nome, que em português significa: Boneca de Trapos. Isso ocorre por causa da sua atitude despreocupada com as pessoas. Ao contrário das demais raças que costumam ser desconfiadas, ficando tensas e duras quando em contato com pessoas, o Ragdoll relaxa totalmente sua musculatura porque tem confiança nas pessoas.

Essa confiança pode ser traduzida como uma grande sociabilidade com as pessoas, até mesmo com estranhos. Tal característica não é comum entre os gatos. A maioria é desconfiada com estranhos. Quando um desconhecido entra na casa, os Ragdolls se aproximam aos poucos e permitem ser tocados e pegos no colo. Como não demostram medo de estranhos, podem ser facilmente roubados, por isso não podem ser deixados soltos sozinhos na rua. 

Com os donos são muito apegados, indo atrás dele quantas vezes for preciso, mesmo estando deitados. Adoram ficar junto do dono; precisam da presença dele e apreciam muito um carinho, adora a companhia das pessoas e precisa estar sempre perto dos donos. 

Buscar e trazer objetos e obedecer às restrições impostas pelo dono é característica deles. A maioria das vezes não voltam a repetir a peraltice. Quando repreendidos, dificilmente voltam a fazer coisas proibidas. 

Ter um Ragdoll em casa é um sossego. Além das qualidades que facilitam a convivência, ele mia pouco e se dá bem com outros animais, especialmente cães. A pelagem também não cai muito e não embaraça com facilidade. Uma escovação semanal é suficiente. Banho, só a cada três meses ou quando estiver muito sujo. Não apresenta problemas de saúde, mas têm tendência à obesidade. Isso ocorre porque a raça é pouco ativa e recebe dos donos comida demais. É recomendável dar rações menos calóricas e não deixar comida à disposição o dia inteiro. O excesso de peso deve ser evitado porque predispõe à diabetes, problemas no fígado e articulações.

Características

Os Ragdolls são grandes, volumosos e lindos. São comumente referidos como "os gigantes gentis" porque apesar de graciosos e bonitos, eles são extremamente dóceis.  

Todos os Ragdolls têm olhos azuis. São avaliados em quatro cores: Seal, Chocolate, Azul e cor de gelo. Elas vêem em três padrões básicos: 

Bicolor 
Branco com "V" invertido na máscara com pernas, pés, garganta e ventre brancos. Orelhas e cauda ponteadas. Nariz e almofadas plantares são rosa.

Colorpoint 
Máscara, orelhas, pés, cauda, nariz e almofadas plantares são ponteadas. Os colorpoints não têm branco em razão nenhuma.

Mitted 
Máscara, orelhas, pernas ponteadas com branco na ponta das patas e botas brancas atrás das pernas. Queixo branco é pedido, também com ventre e branco. As almofadas plantares são rosa.

Os Ragdolls nascem brancos com suas cores e padrões começando a aparecer quando eles tem por volta de 10 dias. Sua coloração e desenvolvimento definitivos não é alcançado até seus 2 ou 3 anos. Os Ragdolls têm o pêlo parecido com o do coelho. É médio para grande, sedoso. Têm pouca queda de pêlos e quase não requerem escovação.  

Os Ragdolls adoram ser carregados como bebês.  

Os machos, quando estão totalmente maduros, podem pesar mais de 13,5 kg. As fêmeas pesam menos, usualmente de 6,8 à 9 kg quando estão totalmente maduras. 

São fruto de acasalamento de dois Ragdolls, não podendo nunca haver cruzamentos inter-raciais (entre outras raças). Levando um Ragdoll para casa será uma maravilhosa adição na família. Em pouco tempo percebe-se exatamente como é especial! A raça Ragdoll é única porque sua beleza, graça, gentileza e alegria estão incorporadas em um único gato. 

Perguntas e Respostas

É verdade que os Ragdolls têm genes humanos? 
Não. O sangue humano é diferente do sangue dos felinos. Seria impossível o Ragdoll ter genes humanos.  

Quem é Ann Backer? 
Ann Backer era uma criadora da Califórnia que introduziu a raça Ragdoll. Ela batizou sua própria entidade, conhecida como IRCA (International Ragdoll Cat Association). Ela tem todos os créditos de precursora da raça.

Por quê eles são chamados "Ragdoll"? 
O nome "Ragdoll" significa "Boneca de Trapos". Esse nome foi dado porque eles confiam tanto nos seres humanos que ficam totalmente relaxados quando pegos no colo. Esta é uma característica marcante na raça.  

O que são "Raggamuffins"? E eles são iguais aos Ragdolls? 
Os Raggamuffins surgiram com os criadores de Ragdoll. Não são a mesma raça. São os gatos que não estavam dentro dos padrões do Ragdoll e os criadores desses gatos fora de padrão se uniram e conseguiram reconhecê-lo como uma raça diferente. 

É verdade que os Ragdolls são misturados com gambás e racoons? 
Falso. Ann Baker pretendia acasalar seus gatos para obter caudas listradas. Ela chamaria essa raça de "Honeybears". Mas não há fatos de que isso tenha acontecido. 

É verdade que pessoas com alergias não podem ser tocadas por um Ragdoll? 
Falso. Os Ragdolls são especiais em temperamento e beleza. Mas eles ainda são felinos. Ainda são gatos. E, pessoas que sofrem com alergia à gatos vão experimentar as mesmas reações com o Ragdoll. 

É verdade que os Ragdolls não trocam de pêlo? 
Falso. Os Ragdolls realmente trocam de pêlo. Mas, o seu pêlo é parecido com o dos coelhos e sua muda é consideravelmente menor que outros gatos de pêlo semi longo. A escovação geralmente é necessária uma vez por semana.  

Qual é a expectativa de vida de um Ragdoll? 
Eles não são diferentes dos outros gatos quanto à expectativa de vida. Com cuidados apropriados, um Ragdoll pode viver 15 anos ou mais.

Referências

The Ragdoll Connection Network, RCN, Ragdoll Cats Are Love 

Ragdoll International - Ragdoll Cat Breeders & Owners Club