Primeiros Socorros e Cuidados de Emergência: Parte 3

Vamos continuar nossa série sobre os primeiros socorros e cuidados de emergência em cães e gatos.



Sangramento
Torção Gástrica
Referências


Se preparar para uma emergência que envolva seu animal sempre é melhor realizada antes que qualquer coisa aconteça. Esta série é destinada a ajudá-lo a tomar importantes decisões sobre primeiros socorros, e também como e onde transportar seu animal rápida e seguramente até um hospital veterinário.

Inclui informações sobre o que fazer e o que não fazer em determinadas situações de emergência.

Sangramento

Animais perdem sangue como resultado de um trauma. Se o sangramento é severo e contínuo, o animal pode perder muito sangue, levando-o a um estado de choque. O dono deve controlar o sangramento, mesmo que seja apenas durante o transporte do animal até o veterinário. Os donos também devem saber como parar uma hemorragia se o animal se machucar.

Técnicas para Parar o Sangramento Externo

As técnicas a seguir estão listadas em ordem de preferência.

Pressão direta
Gentilmente, com uma compressa (panos limpos ou gaze), pressione o local do sangramento, absorvendo o sangue e permitindo que ele coagule. Se o sangramento for intenso, não retire o pano ou gaze; simplesmente coloque mais panos limpos ou gazes no ferimento, e continue pressionando. A compressa pode ser amarrada no local do ferimento, usando um material de bandagem, o que deixa as mãos do dono livres para providenciar outras ações emergenciais. Na ausência de uma compressa, as próprias mãos podem ser usadas.

Elevação
Se há um sangramento severo nas patas ou nos pés, gentilmente os erga para que a ferida fique acima do nível do coração.

A elevação usa a força da gravidade para ajudar a reduzir a pressão sangüínea na área machucada, parando o sangramento. É mais eficiente em animais maiores com membros longos, onde as distâncias entre a ferida e o coração são maiores. Pressão direta com compressas também podem ser usadas para maximizar os efeitos da elevação.

A elevação de um membro, combinada com a pressão direta, é um modo eficaz de parar um sangramento.

Pressão na artéria principal
Se o sangramento continuar mesmo depois da pressão direta e da elevação, é preciso pressionar com os dedos a artéria principal da ferida. Aplique pressão na artéria femoral na virilha para um sangramento intenso na pata traseira; na artéria braquial na parte interna da parte superior da pata dianteira para sangramentos intensos na pata dianteira; ou na artéria caudal, na base da cauda, se o machucado é na cauda. Continue usando a pressão direta.

Pressão acima e abaixo da ferida
Também pode ser usado em conjunto com a pressão direta. A pressão acima da ferida ajuda a controlar o sangramento arterial. A pressão abaixo da ferida ajuda a controlar o sangramento das veias.

Torniquete
O uso do torniquete é perigoso e deve ser usado apenar em casos de sangramento intenso de um membro (perna ou cauda), onde haja risco de vida para o animal. Um pedaço de pano pode ser usado para envolver o membro duas vezes e amarrá-lo com um nó. Um pequeno pedaço de madeira ou outro objeto parecido também é amarrado neste nó. Gire o pedaço de madeira para apertar o torniquete até que o sangramento pare. Aperte bem o pedaço de madeira com outro pedaço de pano e escreva o horário em que foi aplicado o torniquete no animal. Solte o torniquete por 15 a 20 segundos a cada 20 minutos. Lembre-se: este é um procedimento muito perigoso e geralmente resulta na incapacidade ou amputação do membro.

Sangramento interno
O sangramento interno é uma situação de risco de vida e não é nada parecido com o sangramento externo. Qualquer sangramento visível é externo. O sangramento interno ocorre dentro do corpo e não pode ser visto. Mas existem sinais externos que indicam se há sangramento (hemorragia) interno:

·         O animal fica pálido (verifique as gengivas e as mucosas oculares);

·         O animal fica com as patas, orelhas ou cauda geladas.

·         O animal fica extremamente excitado ou anormalmente quieto.

Se qualquer destes sinais são evidentes, o animal deve ser levado imediatamente para o veterinário. Lembre-se: o sangramento interno não pode ser visto.

Torção Gástrica

É uma situação que oferece risco de vida ao animal, na qual o estômago se enche de ar (dilatação) e/ou gira em torno de si mesmo.

O que Fazer

·         Leve o animal imediatamente ao veterinário ou a um hospital veterinário. Esses casos requerem assistência profissional.

O que NÃO Fazer

·         Não tente aliviar os gases do estômago.

·         Não ministre nenhum remédio, alimento ou líquido pela boca do animal.

É importante que esta situação seja reconhecida imediatamente. Seu animal pode não parecer que está com torção gástrica. Os sinais de torção gástrica incluem:

·         Salivar excessivamente;

·         Ânsias e tentativas de vômito freqüentes (alguns animais conseguem regurgitar um pouco de saliva espumosa);

·         Ansiedade, aflição, agitação e andar de um lado para outro;

·         Depressão e choque.

Muito se tem aprendido sobre a torção gástrica na última década. Há alguns anos atrás o diagnóstico de torção era quase sempre uma sentença de morte, já que apenas 25% dos animais sobrevivia. Hoje o índice de sobrevivência é maior que 80%. Parte do motivo do crescimento neste índice são os donos responsáveis, que reconhecem o problema no seu início. Quanto mais cedo o veterinário começar o tratamento, melhores são as chances de sobrevivência. Medicamentos extremamente agressivos e rápida intervenção cirúrgica no decorrer da doença são as maiores causas de sucesso na reversão do quadro.

Referências

Veterinary Partner