Mudança Radical em Animais

Referências


Existe uma convenção na Europa que vem lutando por modificar certas raças de cães e gatos, com o propósito de melhorar a sua qualidade de vida e seu bem-estar em geral. Mas, o que eles propõem?

Como todos nós sabemos, existem centenas de raças de cães e gatos, que foram acasaladas durante muitos anos para perpetuar certas características física que, para nós, eram bonitas. Alguns exemplos dessas características são as cores dos animais, formato da cabeça e focinho e a pelagem.

Mas, em certas raças, essas características ficaram extremadas, prejudicando a qualidade de vida do animal. Dois ótimos exemplos são o Bulldog Inglês e o gato Persa, que têm cabeças grandes e nenhum focinho. Essas duas características geram muitos problemas. A cabeça grande dificulta o parto natural em cadelas e gatas, que precisam passar por uma cesárea para que mãe e filhotes sobrevivam. A falta de focinho acarreta problemas no canal lacrimal dos animais (eles ficam sempre lacrimejando), além de problemas respiratórios: estes animais não conseguem praticar exercícios físicos, logo ficando super aquecidos.

Vejamos agora outros exemplos de mudanças que podem ocorrer em algumas raças de cães e gatos:

  • O Bulldog Inglês tem muita pele solta na cabeça, um focinho muito curto, crânio achatado e dentes com posicionamento anormal. Esse tipo de cabeça deveria ser modificada ou, então, a raça seria extinta.

  • O Cocker Spaniel (Americano e Inglês) possui orelhas muito compridas. Elas deveriam ser encurtadas, ou a raça extinta.

  • O Boxer possui dificuldades de alimentação devido ao posicionamento anormal dos dentes, que necessitam ser reposicionados.

Mais exemplos de mudanças

  • Estabelecer limites máximos e mínimos de altura e peso para cães muito grandes ou muito pequenos, respectivamente, para evitar problemas ósseos e de articulações (displasia coxo-femural e displasia de cotovelo, fraturas, luxação da patela ou do cotovelo e moleira aberta permanentemente) e colapso na traquéia;

  • Estabelecer limites máximos em relação a comprimento e altura dos cães de patas curtas (Basset Hound, Teckel) para evitar problemas de coluna;

  • Estabelecer limites para o achatamento do crânio, principalmente na região do nariz, que são responsáveis por dificuldades respiratórias e bloqueio das glândulas lacrimais, assim como também são responsáveis por partos difíceis (por exemplo, gatos Persa, especialmente os do tipo "extremo", Bulldog Inglês, Spaniel Japonês, King Charles Spaniel, Pug, Pequinês);

Prevenir a ocorrência de:

  • Moleira aberta permanentemente (por exemplo, no Chihuahua) para evitar danos no cérebro;

  • Posicionamento anormal das patas (por exemplo, angulação quase imperceptível das patas traseiras das raças Chow Chow, Norwegian Buhund, Swedish Lapphund, Spits Finlandês; patas curvadas nas raças Basset Hound, Pequinês e Shih Tzu) para evitar dificuldades de movimentação e degeneração das articulações;

  • Posicionamento anormal dos dentes (por exemplo, animais prognatas, como o Boxer, Bulldog Inglês, gato Persa) para evitar dificuldades de alimentação e de segurar os filhotes recém-nascidos;

  • Tamanho e forma anormais dos olhos e/ou das pálpebras (por exemplo, ectrópio em Basset Hound, Bloodhound, São Bernardo; olhos profundos e pequenos com predisposição para desenvolver entrópio em Airedale Terrier, Australian Terrier, Bedlington Terrier, Bull Terrier, Bloodhound, Chow Chow, English Toy Terrier, Terra Nova, Shar Pei; olhos grandes e profusos em Boston Terrier, Cavalier King Charles Spaniel, Dandie Dinmont Terrier, Grifon de Bruxelas, Spaniel Japonês, King Charles Spaniel, Pequinês, Shih Tzu, Terrier Tibetano) para evitar irritação e inflamação nos olhos, assim como inchaço dos mesmos;

Problemas que podem ocorrer nos cães devido às características morfológicas:

  • Orelhas muito compridas (Cocker Spaniel Inglês e Americano, Basset Hound e Bloodhound), para evitar machucados nas mesmas;

  • Excesso de dobras na pele (Basset Hound, Bloodhound, Pug, Pequinês e Shar Pei) para evitar eczemas na pele, principalmente excesso de rugas na região dos olhos, que pode irritá-los, e até mesmo, inflamá-los;

Evitar ou, se não for possível, não criar mais raças de:

  • Animais que carreguem genes com fator semi letal (por exemplo: Cattle Dog Australiano);

  • Animais que tenham genes recessivos que provoquem defeitos (por exemplo: gato homozigoto da raça Scottish Fold, podendo gerar filhotes de patas curtas e defeitos na coluna e na cauda);

  • Cães e gatos pelados (falta de proteção contra o sol e o frio, predisposição a uma significante redução no número de dentes, gene de fator semi letal);

  • Gato da raça Manx (problemas de locomoção, predisposição a problemas na coluna, dificuldades de eliminar fezes e urina, gene de fator semi letal);

  • Gatos portadores do gene "branco dominante" (alta predisposição à surdez);

  • Cães merle e portador do gene merle (alta predisposição à surdes e problemas oculares. Exemplo: Collie Azul Merle, Pastor de Shetland Azul Merle, Welsh Corgi (Cardigan e Pembroke) Azul Merle).

Além de todas essas mudanças, a convenção também proíbe o corte de cauda e orelha dos animais, principalmente dos cães.

Vejamos bem que, essas mudanças, são para o bem-estar dos nossos melhores amigos. O que eles menos querem é extinguir as raças, e sim, que elas vivam bem, com ótima qualidade de vida, sem precisar passar por cirurgias estéticas e nem Ter características extremadas que prejudiquem sua saúde.

Referências

Save Our Breeds