Comportamento Reprodutivo dos Canários

Referências


A observação dos pássaros pode revelar a personalidade deles e possíveis conflitos, que são a diferença entre o sucesso e o fracasso no acasalamento.

Há variações no comportamento de corte e criação dos canários. Alguns criadores preferem manter os canários no período de reprodução em salas isoladas, ficando assim em locais quietos, longe do barulho. Mas, alguns criadores, optam por deixar os canários viverem junto com eles, assim se acostumam com os barulhos da casa, ficando menos assustadiços, proporcionando, assim, melhores cuidados aos filhotes sob adversidades. Isso também é válido para o criador que deseja ver bem de perto o crescimento dos filhotes, sem assustar os pais, além de monitorar os comportamentos de corte e rejeição, acasalamento e briga, se alimentam ou não os filhotes e o crescimento ou não dos mesmos.

A Alimentação é Um Prelúdio ao Acasalamento

Para começar, observe que o fato do macho alimentar a fêmea é o modo como ele lhe exprime suas intenções amorosas, assim como no nosso caso, quando o homem paga o jantar para a moça como prelúdio de um romance. Na visão das aves, provavelmente a fêmea quer ter certeza que o macho é capaz de lhe proporcionar comida enquanto ela choca os ovos (faz sentido no aspecto sobrevivência). Se o macho alimenta sua parceira, ela terá mais forças para realizar a tarefa de incubação e cuidados com a ninhada. Alimentar a ninhada é o mais importante para a fêmea, o que envolve trabalho duro. Então, se ele alimenta a fêmea, provavelmente também alimentará os filhotes (algo como um acordo pré nupcial e uma apólice de seguro).

Vocalização e Bater das Asas

A alimentação é apenas um elemento do comportamento de corte. Algumas fêmeas têm um gorjeio distinto – algo como gritinhos rápidos e curtos, que parecem dizer que ela está "pronta" para o acasalamento. Depois de ouvir esse gorjeio intencional, o macho geralmente voa pela gaiola de maneira agitada e excitada, como se estivesse pensando: "Será que ela quer mesmo? Oh, meu Deus, esqueci o que devo fazer!!!". Finalmente, ele "acorda" e acasala com a fêmea.

O acasalamento começa quando o macho sobe nas costas da fêmea. O macho bate as asas rapidamente na hora do acasalamento, como se quisesse ficar na posição certa: isso é típico do acasalamento. Alguns machos, depois do acasalamento desce para o poleiro, ao lado da fêmea, fica com a cabeça arqueada para trás, a cauda levantada e começa a cantar. Mas isso não é sempre que acontece.

Nem todas as fêmeas comunicam ao macho suas intenções do mesmo jeito: algumas são mais sutis, outras mais óbvias.

Conflitos de Corte

Alguns machos são "viciados em sexo". Se deixados numa gaiola junto com uma ou várias fêmeas fora do período de acasalamento, sem nenhum ninho, eles ficam perseguindo-as constantemente, tentando acasalar com elas. Esses machos devem ser mantidos isolados, senão podem machucar as fêmeas.

Outros machos ignoram os chamados das fêmeas pedindo comida e não as alimentam, além de não tomarem parte também na alimentação dos filhotes. Às vezes não respondem nem aos chamados de acasalamento. Esses machos, geralmente, não têm filhotes saudáveis.

Algumas fêmeas aceitam qualquer macho para acasalar com elas (alimentando-as ou não), até mesmo fora do período de acasalamento. Só que essas mesmas fêmeas podem recusar o macho escolhido por você. Isso pode ser perigoso, pois o macho pode bater nela para tentar acasalar.

Algumas vezes as fêmeas recusam o macho, chegando a bater neles, mas isso é porque ou ainda não estão prontas para o acasalamento ou o seu ninho ainda não está pronto. Separe o macho por alguns dias e depois o coloque novamente na gaiola. A aceitação será rápida.

Outras fêmeas só aceitam acasalar com o mesmo macho, por toda a vida delas. Se outro macho for introduzido na gaiola, ela pode agir agressivamente. A Suzanne, minha canária canela, só aceitou bem o Yuri, meu macho verde, como seu parceiro (ambos estão na foto de abertura). Ficam juntos na gaiola o ano inteiro, respeitando-se mutuamente.

Entendendo o Comportamento dos Canários

A maioria do comportamento dos canários segue o padrão do macho alimentando a fêmea, a fêmea construindo o ninho, a corte e o acasalamento acontecendo logo depois da construção do ninho, ou durante ela, a fêmea incubando os ovos enquanto o macho a alimenta e o macho dando assistência na alimentação dos filhotes. Isso porque, na natureza, as fêmeas que se comunicam com seus parceiros para que eles a alimentem ou acasalem com ela, e os machos que respondem de forma apropriada, respeitando as fêmeas, têm mais probabilidade de garantir a sobrevivência dos seus filhotes. O fato de respeitar os convites da fêmea para o acasalamento, leva a um acasalamento de sucesso produzindo, então, um maior número de ovos férteis. Uma fêmea menos estressada cria uma ninhada mais saudável do que uma fêmea estressada, cujo macho não a alimenta e nem aos filhotes. Um macho que dá assistência à fêmea, alimentando-a e aos filhotes assegura a sobrevivência da ninhada mais do que se ele fosse um marido e pai negligente.

Com a domesticação, as aves provavelmente mostrarão uma grande variação neste aspecto do que seus parentes selvagens. Nosso ambiente tolera fêmeas e machos negligentes, enquanto na natureza a sobrevivência das espécies depende de uma boa corte, um bom acasalamento e uma boa criação. É difícil, senão impossível, estudar o comportamento da ave selvagem da mesma maneira que estudamos este comportamento nas aves domésticas. Apenas podemos especular como é. As fêmeas também têm os seus problemas de comportamento na corte, no acasalamento e no choco, algumas vezes não se deitando direito sobre os ovos, se recusando a alimentar os filhotes e até matando-os.

Os canários são criaturas pequenas, mas nem por isso frágeis.

Referências

Revista Bird Breeder