Adaptando o Periquito à nossa mão


Quando perceber que o periquito já está acostumado com sua nova casa e com a sua presença, poderá habituá-lo a sua mão, é fácil e você só precisará ter paciência e dedicação.

Da próxima vez que for oferecer uma fruta, uma verdura ou até mesmo um pedaço de pão (conhecendo-se o periquito e sabendo-se de suas preferências alimentícias ficará mais fácil, a maioria atira-se a um pedaço de jiló) não sirva-o no comedouro, e sim na mão.

Abra a gaiola lentamente e coloque sua mão, lentamente vá aproximando-a do animal, se ele voar na tentativa de afastar-se da sua mão, mesmo que ela ainda esteja longe dele, é sinal de que ele ainda tem medo. Retire sua mão devagar e tente de novo no dia seguinte até que ele se acostume com sua mão dentro da gaiola. Se preferir troque a oferta, pode ser a primeira iguaria não lhe apeteça. Quando você conseguir se aproximar dele sem que ele voe ou demonstre medo, já terá evoluído bastante. Mantenha uns 5 cm de distância, e deixe sempre sua mão abaixo do periquito: nenhum pássaro se sente seguro quando há movimentação sobre a sua cabeça. Pode ser que logo no primeiro dia ele estique o pescoço (assim ele irá manter o máximo de distância entre ele e você) e tente bicar a guloseima que você tem nas mãos.

Com o tempo, ele perceberá que você não oferece mal algum, e procurará apoio em um dos seus dedos para melhor comer, porém o outro permanecerá no poleiro por precaução. Durante este período ele ainda não confia plenamente em você. Podemos dizer que ele ainda está "com o pé atrás" mas isso quer dizer que a sua "declaração de confiança" está próxima, na qual ele pousará tranqüilamente na sua mão, e, dependendo da idade e do número de companheiros com o qual ele viva, ele permitirá que você o acaricie. Esse é o passo mais difícil, pois ele deverá viver com você desde filhote, e deverá ter poucos parceiros de penas, já que eles têm confiança mútua e se preferem na troca de carícias.

Eis algumas dicas para você nunca perder a confiança do seu periquito:

* Evite ao máximo apanhar o pássaro com as mãos: você colocaria a perder toda a confiança já ganha. Pegue-o apenas se precisar administrar algum remédio;
* Não fique triste se ele nunca chegar a pousar na sua mão, pode ser que ele tenha sofrido algum trauma por ter sido agarrado de supetão, e tenha passado a desconfiar da mão humana;
* Nunca bata na gaiola pois a vibração o assustará muito. Tome cuidado principalmente com as crianças pequenas, geralmente elas adoram bater na gaiola e ver a ave se debater lá dentro;
* Quando ele se assustar, fale com ele docemente, diga para ele ficar calmo. O tom da sua voz o acalmará e inspirará confiança;
* De maneira alguma prive o pássaro de sua alimentação normal (a mistura de alpiste, painço, aveia e girassol) a fim de fazê-lo comer na sua mão. Ele ficaria muito fraco e viveria com fome, e isto é simplesmente crueldade. Você deve conquistar a confiança do periquito, e não torná-lo um escravo da fome.