Convivendo com um Lobo

Origem  Temperamento  Características  Cuidados  Reprodução  Saúde  Referências


Origem

O Lobo (Canis lupus) é encontrado na América do Norte, na Europa e em grande parte da Ásia.

Temperamento

Vive em comunidades onde o grupo tem prioridade sobre o indivíduo. Possuem uma rígida hierarquia, onde a chefia é garantida pela personalidade e pela atitude do lobo, e nunca pelo seu tamanho.

Agem de acordo com sua posição hierárquica, mas tentam buscar postos mais avançados.

Existem duas hierarquias, uma de machos e outra de fêmeas.

Os dois sexos têm papel parecido na hora de caçar, na patrulha e no cuidado e proteção aos filhotes, independentemente da posição hierárquica.

Andam até 40 quilômetros por dia em busca de presas, principalmente durante a noite.
Chama o grupo para ajudar nas caçadas maiores.

A parte do alimento de cada lobo é determinada pela sua posição na hierarquia.

Podem ficar até uma semana sem comer, mas são capazes de comer até 12 quilos de carne de uma vez.

Comunicam-se sempre com todos os membros do grupo, por meio de uivos e sinais corporais.

Adoram o frio, a neve e o gelo, mas detestam o calor, chegando a nadar em lagoas no verão.

Se estiver no topo da hierarquia, recebem demonstrações de submissão e de respeito dos demais lobos. Os indivíduos alfas (os lobos que estão no topo da hierarquia) têm prioridade tanto na alimentação quanto nos acasalamentos, mas perde tudo isso quando for deposto em alguma disputa ou se estiver incapacitado fisicamente.

Se for derrotado em alguma disputa, pode ser expulso do grupo ou ser mantido no grupo, sendo que neste último caso, deve aceitar sua atual posição ou tentar recuperar a posição perdida.

Se afasta do grupo, se for expulso ou, se for um jovem adulto, se afasta para formar uma nova família.

Se o lobo está doente, ele é alimentado pelos demais. Mas, se estiver muito debilitado, é perseguido para sair do grupo e ficar à própria sorte. A exceção se dá por conta de um líder de personalidade muito marcante, o qual, nestas condições, é respeitado até o fim da sua vida.

Têm medo dos humanos, mantendo distância deles sempre que possível, mas, quando é amansado, aceita o convívio com humanos, mas têm restrição com crianças, pessoas baixas, com ferimentos ou doenças.

Com as pessoas de casa e que a freqüentam constantemente ele não é agressivo, pelo simples fato de ser amansado. Mas, se alguém ameaçar alguém da família ele avança, principalmente pelo elo que cria com os donos. Com outros cães ele se porta como sendo o líder de todos eles e os cães aceitam isso com a maior naturalidade.

Não é muito territorialista, mas é um bom guarda. Mesmo sendo natural ele não latir, sempre defende a família.

Características

Seu tamanho varia de 65 a 85 centímetros de altura na cernelha, e o peso varia de 32 a 58 quilos, embora tenha um caso de um lobo que pesava 96 quilos.

Focinho comprido, fronte abaulada, patas longas e fortes, com cinco dedos nas patas anteriores e quatro nas patas posteriores.

A cor varia do negro nos bosques americanos ao branco na Sibéria, mas são mais frequentemente cinzentos mesclados de negro.

Patas e ventre de cor branco amarelado.

No inverno, a pelagem é mais espessa que no verão, e os de latitudes nórdicas tornam-se mais claro no inverno.

Nas várias partes da sua extensa área, o porte varia tanto como a cor.

A cauda é reta ou pendida para baixo, nunca é enrolada sobre o dorso.

Seu tipo físico é esbelto, com antepeito estreito, pernas longas e patas grandes, para poder andar com maior facilidade na neve (mesmo se a espécie não viver em regiões onde neva).

Cuidados

O banho deve ser mensal e proporcionar treinos é bom para aumentar sua resistência e o adestramento é bom também para o convívio.

O ambiente ideal para se ter um lobo é um sítio ou uma fazenda, nunca criá-lo numa casa: além de sua casa virar o caos, eles irão uivar durante a madrugada, incomodando os vizinhos. E uma casa nunca terá o espaço suficiente para um lobo ser feliz.

Lembrando que NUNCA DEVE-SE CRIAR UM ANIMAL SELVAGEM EM CATIVEIRO. A pessoa que me concedeu a entrevista possui autorização de uma sociedade de animais do Canadá para criar um lobo e toma muito cuidado ao tratá-lo.

NUNCA avance ou encare um lobo. Ele se acha desafiado e isso pode acarretar em um acidente. Nunca pense em incomodá-lo nas horas em que ele estiver se alimentando, pois ele pode atacar.

Cuidado também com as brincadeiras, pois um simples cabo de guerra pode virar uma competição onde somente um poderá ficar com a caça (no caso, o brinquedo) e isso normalmente não é bom, pois se você perder poderá sair seriamente ferido(a).

Ter paciência e bastante espaço no lugar onde vai criar, não mudar muito a rotina de um lobo e a da sua família (os lobos são muito sensíveis), tomar cuidado com problemas que ele pode ter (no momento não sabemos de nenhum) e NUNCA deixar ele se tornar o líder ALFA (ele não aceita que ninguém tome o lugar dele).

Alimentação:

Na natureza se alimenta de ratos a alces, raramente frutas silvestres. Se alimenta também de animais domésticos (como rebanhos de ovelhas), lebres, castores, outros carnívoros, cadáveres, frutas e vegetais, anfíbios, répteis e aves.

Já em ambiente doméstico, dá-se ração para cães e pedaços de carne, pois a ração canina não é suficiente para suprir as necessidade alimentares dos lobos.

Reprodução

A maturidade sexual do lobo ocorre aos 22 meses, ao contrário da do cão, que é ao redor de 1 ano de vida.

A fêmea entra no cio uma vez por ano, ao contrário também das cadelas, que entram no cio a cada seis meses.

A gestação dura, em média, nove semanas, e a ninhada é de quatro a cinco filhotes.

O nascimento pode se dar no interior de uma toca, que é cavada pela própria loba em um terreno macio, algumas vezes entre o mato, que poderia ser chamado de cama, no abrigo de uma rocha ou entre as raízes de uma árvore. A loba é muito cuidadosa com os filhotes e os muda de lugar se pressentir algum perigo. Durante a lactação, o macho caça para a fêmea, juntamente com o resto da alcatéia, transportando a carne no estômago e regurgitando-a para oferecer à loba mãe.

Como já foi dito antes, apenas o macho e a fêmea alfas que procriam.

Os filhotes, além da mãe, têm o cuidado de uma outra fêmea e é alimentado por qualquer adulto do grupo, recebendo comida regurgitada na boca.

Saúde

Não se sabe ao certo quais os problemas de saúde que podem afetar o lobo, tanto no seu hábitat natural como em cativeiro, mas uma doença que pode preocupar é a cinomose canina.

Referências

Entrevista com um dono de lobo.
Revista Cães & Cia
Enciclopédia A Fauna