Geneta Aquática

Origem  Temperamento  Características  Viverrídeos  Referências


Origem

A Geneta Aquática é encontrada próximo aos fluxos de água nas florestas tropicais no nordeste do Zaire.

A Geneta Aquática está entre os carnívoros mais raros. Todas as espécies de Geneta provavelmente se originaram em áreas de floresta densa, com 500 a 1.500 metros de altitude. O gênero geralmente é semiaquático, como muitos espécimes têm sido vistos em fluxos de água ou próximos a estes. 

Temperamento

A Geneta Aquática se alimenta principalmente de peixes e outros animais aquáticos, como sapos e rãs. 

Não se conhece muito sobre seu temperamento na natureza, mas acredita-se que sejam animais solitários.

Características

A Geneta Aquática possui um corpo comprido e magro, com patas curtas. Suas patas traseiras são maiores que as dianteiras. Sua pelagem é castanho avermelhado e suas patas, orelhas e cauda são de uma coloração que varia do castanho escuro ao negro. Há duas manchas compridas e brancas entre os olhos. Não há manchas ou listras brancas no corpo, como em outras genetas, e a cauda é de um preto sólido, sem anéis. 

Sua dentição parece ser adaptada a lidar com vertebrados escorregadios, como peixes, sapos e rãs. As plantas de suas patas não possuem pêlos, o que pode ser uma adaptação que permita à geneta sentir sua presa em buracos barrentos e então controlá-la. 

Comprimento do corpo: 45 a 50 cm.
Comprimento da cauda: 35 a 42 cm.
Peso: 1,4 a 1,5 kg.

Família Viverrídeos

Os Viverrídeos são carnívoros primitivos que, pelo seu aspecto, fazem lembrar os primeiros carnívoros fósseis. Alguns restos de animais desaparecidos parecem comprovar que eles estão aparentados com a família das hienas. A origem dos Viverrídeos é um pouco incerta, embora, talvez no final do Oligoncênico, e no princípio do Miocênico - há cerca de 25 milhões de anos - dois grupos bem diferenciados povoassem a Europa: os Viverríneos, muito primitivos, com os molares cortantes e muito semelhantes às genetas atuais - das quais é possível que não sejam antecessores -, e os Herpestíneos, com molares pontiagudos e que são parentes próximos dos mangustos atuais.

A família dos Viverrídeos, animais de porte pequeno ou médio, compreende numerosas e muito diversas espécies que povoam as regiões quentes do Velho Mundo, embora algumas se estendam a zonas temperadas e outras tenham sido introduzidas no Havaí, nas Antilhas e até na América do Norte. De um modo geral, todas têm formas esbeltas, cabeça alongada, focinho pontiagudo, patas curtas e cauda comprida.

Alimentam-se principalmente de presas que conseguem caçar, embora algumas espécies aceitem um regime misto que inclui muitos produtos de origem vegetal. Freqüentemente, o número de pré-molares é menor (costumam ser três) e há um único molar em vez de dois, de forma que em alguns gêneros o número de dentes é trinta e dois.

Os padrões de coloração são muito variados nos Viverrídeos. Uns apresentam uma cobertura uniforme, enquanto outros possuem riscas escuras e outros ainda grandes manchas negras num fundo mais ou menos amarelado.

Um aspecto curioso de alguns Viverrídeos é a sua capacidade de expelir, como medida defensiva, um líquido nauseabundo pelas glândulas anais.

Obs: Estas duas últimas fotos são exemplares de Geneta Comum, só para comparação com a Geneta Aquática (primeira foto).

Referências

Lioncrusher´s Domain
Aquatic Genet
Genets
Enciclopédia: A Fauna, Volume V.