Ferret

Origem Temperamento Características 
Cuidados Reprodução Saúde  Referências 

Origem

O Ferret (Mustela putorius furo) é um primo doméstico da doninha européia. Ele vive na companhia do homem há séculos (+ou- 2000 anos), portanto não se pode dizer que seja um animal selvagem. Se depois de domesticado ficar em liberdade, ele não saberá caçar, o que ocasionará sua morte. O Ferret chega à idade adulta aos 6 meses e vive em média de 8 a 10 anos, dependendo dos cuidados desprendidos a ele.

É um animal parente do conhecido furão aqui do Brasil. Trata-se de um pequeno carnívoro. Não é um roedor, como muitas pessoas pensam. Também não é um animal silvestre. Os Ferrets foram domesticados antes mesmo dos gatos, no Egito. Antigamente os europeus usavam o Ferret para caçar pequenos roedores, como esquilos e coelhos.

Ele é pouco conhecido no Brasil, mas já encontrado em alguns pet shops, e com aparência de selvagem, o Ferret, na verdade, é um animal de estimação há milênios. Foi domesticado pelos egípcios 3 mil anos a.C., quando exterminava roedores em silos e plantações. No entanto, seu caráter amável, facilidade de aprendizado e asseio o colocaram como bicho de estimação mais popular nos EUA, logo depois do gato e do cão. Aportou nesse país em 1870 a bordo de navios americanos onde era usado para ajudar os gatos a acabar com os ratos. Ainda hoje é empregado nessa função nos EUA, em fazendas e armazéns, além de ajudar a desentocar coelhos nas caçadas, como ocorre na Inglaterra. Junto com a lontra, jaritataca, marta e doninha, pertence à família Mustelidae, cujo nome deriva da palavra "musk", que significa almíscar - secreção de odor forte expelida por duas glândulas, uma de cada lado do reto. Os Ferrets importados ao Brasil têm tais glândulas retiradas para evitar esse cheiro, mais intenso nos adultos, especialmente nos machos.

Temperamento

Ferrets e outros animais

Os Ferrets se dão bem com cães e gatos, desde que acostumados aos poucos, com paciência. Tornam-se grandes companheiros.

O Ferret na sua casa 

O Ferret é um excelente animal de companhia. Eles dormem quase o dia inteiro, mas quando acordados brincam sem parar, mesmo quando estão mais velhos. O Ferret não é um animal noturno e vai se acostumar com os horários do seu dono. Assim, quando você não estiver em casa, ele estará dormindo, mas vai acordar quando você chegar.

Quando se faz a opção de deixá-los soltos em casa, num quarto, por exemplo, deve-se verificar todas as tomadas, móveis e objetos que possam machucá-los. Eles aprendem a usar "banheiros" como os usados pelos gatos e não costumam fazer sujeira pela casa.

Quando se tem um Ferret, é preciso ter cui- dado, pois estes animais são muito curiosos e gostam de entrar dentro de armários, gavetas, caixas, etc. Objetos pequenos, como chaves, borrachas e brinquedos podem ser "roubados" pelo animal, que irá escondê-los pela casa.

Alguns deles escondem comida em locais secretos, onde também colocam seus brinquedos e coisas que acham pelo seu ambiente. Se uma bolsa for deixada perto, eles vão entrar e sair carregando alguma coisa!

O Ferret normalmente não morde nem arranha. Algumas vezes podem abrir a boca como se fossem atacar, mas somente se sentirem ameaçados ou se estiverem brincando. Mordidas ocasionais durante as brincadeiras não costumam doer, pois os dentes, apesar de grandes, não têm muita força.

É um bom companheiro para brincar. Ele pode aprender truques, atender quando chamado e se apega muito ao dono. Precisam de atenção e podem se sentir muito sozinhos se não forem "chamados para brincar". Se dá muito bem com crianças, já que não se cansa e é muito ágil.

 

O Ferret possui uma habilidade incrível. Alguns aprendem a abrir portas, caixas e até mesmo zíper de malas. 
Adoram brinquedos de borracha, especialmente os que fazem barulho. Mas tome cuidado para seu animalzinho não engolir pedaços acidentalmente. 
Adoram brincar dentro de meias e sacos plásticos. Costuma se divertir muito com labirintos, pilhas para escalar e "novos desafios". 

Características

É um animal pequeno com cerca de 40 cm, excluída a cauda, e 1 quilo aproximadamente, muito ágil, curioso e dócil. Fêmeas e machos dão excelentes animais de estimação. Elas são um pouco menores, com a cara mais fina e nariz delicado e pontudo. Eles, ligeiramente maiores com a cara mais larga e focinho arredondado. 

Calmos, sensíveis e inteligentes, aprendem rápido e são facilmente ensinados a fazer coisas como rolar, sentar e a vir quando chamados pelo nome. Apegam-se fácil ao ser humano e ficam mais mansos se manipulados desde jovens, embora adultos, com disposição amigável, também se afeiçoem à gente. São excelentes nadadores e apreciam nadar na banheira, quando acostumados, e a tomar banho se preciso.

Seu metabolismo é muito alto: o coração bate 3 vezes por segundo e a digestão é feita em pouco tempo, sendo bom deixar sempre comida seca à disposição. Costumam esconder alimentos para tê-los como suprimento.  Conseqüentemente, se soltos dentro de casa, você encontrará pedacinhos de comida debaixo da mobília etc. Curiosos e muito flexíveis, passam pela menor brecha. Adoram se divertir com brinquedinhos (use só os de látex) e se dão bem com outros animais.

Escolha 

Prefira os dóceis, ativos, com olhos brilhantes, nariz sem crostas e secreção. Pelagem seca, bigodes grossos e quebrados são sinais de doença. Para não correr risco de apreensão, deve estar registrado no IBAMA e ter comprovante de responsabilidade do proprietário, discriminando se é castrado. Faltando alguns desses documentos, o comprador deve registrá-lo no IBAMA, informando a procedência, senão o animal poderá ser apreendido.

Pelagem 

A cor original é Sable (pêlos marrom escuros e subpêlos bege claros). Há também suas variações - McGuinn Sable ou Ranch Sable (pêlos bege pálido e subpêlos do marrom mais escuro ao preto), Honey Sable (pêlos amarelo-ouro e subpêlos marrom escuros). Butterscotch ou Siamês (pêlos canela claros) e sua variação Cinnamon (Pêlos canela claros com matiz avermelhada e subpêlos bege claros); o Silver Mitts (com pés ou pernas brancos), Silver (alguns pêlos brancos misturados com marrom escuros ou canela) e sua variação Sterling Silver (cinza pálido); Albino (branco com olhos vermelhos) e Branco (com olhos pretos). A máscara da cara só é visível com 2 a 3 semanas de vida.

Cuidados

Ao chegar em casa com seu Ferret, tenha em mente que ele é um neném e se sentirá estranho, num lugar novo, com pessoas que ele não conhece. Deixe-o solto para que possa fazer o reconhecimento do ambiente. Tenha cuidado com portas, ralos e janelas abertas (eles adoram escalar móveis), se necessário faça pequenas modificações na decoração de sua casa. Se você optar por deixá-lo preso, saiba que existem gaiolas próprias para eles. 

Alimentação 

A alimentação de Ferret consiste praticamente de ração própria para eles. Na falta desta, pode ser usada a de gato, desde que suplementada com vitaminas. A ração deverá estar disponível o dia todo, pois ele come várias vezes ao dia. Quando filhote, dê a ração umedecida com água, que deverá ser trocada três vezes ao dia, senão azeda. À medida que o animal for crescendo, vá deixando ela mais seca. Você também pode dar frutas. Descubra a que mais gosta. 

Os Ferrets precisam de alimentação rica em proteínas. Existem rações específicas para eles, mas são difíceis de encontrar aqui no Brasil e geralmente são caras. Os criadores recomendam a utilização de ração para gatos como substituto.

Além deste alimento, podemos dar-lhes guloseimas. Existem alguns próprios para Ferrets, mas a maioria deles gosta muito de frutas, como banana, uva passa e pedaços de pão. NUNCA devemos dar doces, chocolate ou sorvete para um Ferret.

Com relação à água, o ideal é usar um bebedouro para animais pequenos ( tipo de coelho). Prenda-o a uns 15 cm do chão, para que ele possa beber sem contorcionismo. Não deixe vasilha com água no chão, senão você vai ter um Ferret sempre molhado (eles adoram jogar a água para fora da vasilha).

Gaiolas 

Normalmente os Ferrets são mantidos em gaiolas e não se importam com espaços pequenos, mas precisam sair para brincar pelo menos algumas horas por dia. Também se acostumam a passear usando coleiras ou dentro de bolsas de transporte feitas para eles.

Gaiola de arame resistente de 121 x 64 x 58 cm, no mínimo. Cama de caixa de papelão ou cesto amarrado em cima e ao lado da gaiola ou ninho de ave com entrada de 7,5 cm. Forração com trapos, toalha ou tecidos. Bandeja sanitária de plástico para gatos (prefira as bem baixas). Bebedouro de garrafa e comedouro de cerâmica ou alumínio, pesados. Nos EUA há diversos acessórios específicos para Ferrets.

Higiene 

O Ferret exige alguns cuidados como outros animais domésticos. Eles precisam que suas unhas sejam cortadas, porque quando crescem podem estragar tapetes, sofás ou machucar durante brincadeiras.

Os Ferrets tem um odor característico que pode incomodar algumas pessoas. Para isso podemos usar perfumes para gatos, sem álcool, encontrados em pet shops, mas sempre em pequena quantidade. Os Ferrets podem tomar banhos, geralmente a cada 15 dias, com shampoo para Ferrets ou para gatos. Deve-se usar água morna e tomar cuidado com os olhos, boca e nariz. As orelhas devem ser limpas com um cotonete. Devemos lembrar que são animais muito delicados e por isso devem ser tratados com gentileza durante este cuidados para não machucá-los.

Manter as instalações limpas, trocando a forração sempre que estiver com urina, fezes etc. Banho a partir das 7 semanas de vida, quando necessário, com água morna, xampu para bebê ou próprio para a espécie. Secar com toalha. Limpar orelhas com mecha de algodão e manter unhas cortadas rentes (use cortador humano).

Reprodução

Os animais que vêm para o Brasil, já chegam aqui castrados, inviabilizando a sua criação, isso porque a fêmea quando entra no cio, fica muito brava e arisca e se não tiver um macho para cruzar pode ter vários problemas: anemia (por perder muito sangue), infecção no útero, dermatites, e às vezes chega à morte.

O IBAMA também não autoriza a importação de animais não castrados, pois não quer a sua procriação no país. Existe um pedido de criação em andamento, mas ainda não temos previsão para quando.

Sua reprodução no Brasil não é possível. Os que aqui chegam são castrados, uma exigência do IBAMA. Se soltos aqui não terão predadores naturais e concorrerão com nossos animais. O Ferret tem grande facilidade em se reproduzir. Na Nova Zelândia, onde também não tem predadores naturais, exemplares que fugiram do cativeiro se multiplicaram a ponto de causar um desequilíbrio ecológico.

Saúde

O Ferret deve ser vacinado quando filhote; geralmente são vendidos com as primeiras vacinas já tomadas. Eles estão sujeitos à Raiva e Cinomose (comum nos cães). Estas duas doenças são fatais para estes animais, que morrem rapidamente quando doentes.

Ferrets adultos também devem tomar reforço anual destas vacinas. ATENÇÃO: a vacina de Ferrets não é a mesma usada nos cães. Peça ao veterinário a vacina específica para esta espécie.

Assim como outros animais, podemos ter problemas com pulgas, embora seja raro. Este animal só terá este problema se tiver contato com outros animais muito infestados.

Outra doença é a gripe. Eles podem "pegar" de seus donos ou passar para eles. Se o seu animal ficar doente, geralmente descanso, água e comida são suficientes, mas consulte seu veterinário.

Vacinar contra Hepatite e Panleucopenia com vacina de vírus morto e Cinomose com vacina preparada em cultura de tecido de embrião de galinha, ambas em 3 doses com intervalo de 2 semanas. Aos 3 meses vacinar contra Leptospirose e com 5 a 6 meses contra a Raiva (ambos com vírus mortos). Essas vacinas são importadas. Repetir anualmente. As vacinas de vírus atenuado usadas em cães e gatos não servem para o Ferret porque podem induzi-lo à doença. A maioria dessas doenças é transmissível ao homem. A temperatura retal normal do Ferret é de 38,5ºC. Quando estressado ou nervoso sobe para 40ºC. É susceptível às nossas doenças como resfriados e pneumonia.

Referências

Homelab - Ferret
Saúde Animal - Ferret
Cães & Cia - Ferret
The Ferret Zone